Free Joomla Template by HostMonster Reviews

#BiblioCiberCode

No passado, as Bibliotecas Públicas, apesar das suas limitações, constituíram-se como pontos de acesso gratuito privilegiado ao livro impresso, e essa necessidade mantem-se até aos dias de hoje. Da mesma forma, apesar das limitações, as bibliotecas públicas têm-se constituído como pontos de referência no que diz respeito ao acesso gratuito à informação digital, promovendo e democratizando o acesso.
 
O sistema educativo tem procurado dar resposta à necessária alfabetização digital, com especial responsabilidade no que diz respeito à imprescindível formação para os “novos escribas” digitais, os programadores. 
 
Mas pode-se ir mais além, começar o processo de mediação para estas novas literacias mais cedo, desde criança e fora do ensino regular. Ou oferecer essa possibilidade a quem já saiu do ensino regular, mas que sente esse fascínio de aprender ou até mesmo necessidade. E onde? Nas bibliotecas públicas, que uma vez mais podem ter um papel muito importante neste nosso “novo” processo de alfabetização.  
 
Um pouco à semelhança do que fazemos com as atividades de promoção da leitura, em que o foco está centrado na criação de ambientes de leitura que promovam o acto de ler, promovam a leitura, especialmente junto de crianças e jovens, de modo semelhante podem-se criar atividades de animação à volta da “alfabetização digital”. Tal como nas atividades de animação da leitura, aliando o lúdico ao pedagógico, podem-se criar ambientes criativos que fomentem as crianças e jovens a aprenderem a utilizar código (programação) para escreverem os seus próprios programas para o seu computador ou smartphone; levá-los a construir de artefactos de índole digital, como robôs e outras gadgets que (já) fazem parte do seu imaginário. 
 
 
O fascínio que as crianças e jovens têm pela utilização dos múltiplos gadgets digitais que os rodeiam no seu dia-a-dia é bem conhecido, assim como os problemas associados se a utilização não for feita de forma regrada. Este fascínio acaba por ser facilitador na implementação deste tipo de iniciativa, afinal vamos oferecer-lhes ferramentas para construírem algo dentro do seu imaginário digital, embora, como mais à frente iremos constatar, “fazer” é bem diferente de “utilizar”, tal como acontece na leitura, ouvir um conto é bem diferente de o ter de ler, mas as maiores diferenças só acontecem no início do processo de aprendizagem da linguagem escrita, que é tradicionalmente difícil e moroso. 
 
Na alfabetização digital, tal como na leitura, depois de se aprender a ler, e se isso der prazer, passasse a preferir uma coisa à outra: ou seja, ao invés de passarem o seu precioso tempo a brincar e a jogar nos meios digitais (a maioria das vezes, desmesuradamente, prejudicando-se...), passam-se a utilizar os meios digitais (também) de outra forma, num processo criativo que poderá acabar por ser muito mais fascinante, prazeroso. Acontece algo semelhante quando aprendemos a ler competentemente e utilizamos esse recurso na procura do prazer ao ler um bom livro.  E diz-se por aí que será fundamental, num futuro próximo, adquirir esta competência de saber ler e escrever, alfabetizarmo-nos no universo digital, desde tenra idade.
 
Assim, pretende-se com este projeto, num primeiro momento, oferecer às crianças e jovens que frequentam a nossa Biblioteca Municipal momentos de aprendizagem no uso das tecnologias digitais, através de cursos e workshops com diversos níveis de desenvolvimento. Num segundo momento, também aos adultos. Em ambos os casos não como meros utilizadores, isso é o que já acontece no nosso dia-dia na maioria das Bibliotecas Públicas, mas sim tornarem-se eles próprios os criadores, os artistas, os contribuintes para um universo digital que atualmente os fascina.  Deseja-se que esta “alfabetização digital” o aprender a programar, a lidar com o código, aconteça de forma lúdica, prazerosa, num espaço onde eles reconhecem como sendo deles e de forma não muito dissemelhante a outros momentos mediação que já por lá aconteceram, noutros universos, é certo.
 
O projeto na comunidade
 
Sendo recorrente a afirmação que futuramente, a muito breve prazo, vai ser necessário que todas as nossas crianças e jovens saibam programar, saibam lidar com o “código” para conseguirem obter um percurso académico e profissional regular, este projecto pretende antecipar e consolidar essa necessidade de imediato. Fora do ensino formal, aliando o lúdico ao pedagógico, a nossa Biblioteca pretende oferecer cursos de iniciação à programação e à robótica completos, ou oficinas/workshops como parte integrante ou completar. As aprendizagens obtidas nesta iniciativa poderão ser decisivas para a obtenção do gosto aos futuros profissionais alpiarcenses por esta área tecnológica de alto valor pedagógico, cultural e económico num universo digital que se vai afirmando cada vez mais como uma prioridade nas sociedades desenvolvidas ou em desenvolvimento. As necessidades de profissionais nesta área não param de crescer e esta oportunidade de “alfabetização digital” será, certamente, uma mais valia para a nossa comunidade.

Atividades desenvolvidas:
(suspensas em 2020 devido à pandemia) 
 

#BiblioCiberCode - Eletrónica e Programação

 
 
 
 
Visitas: 120